Blog do Modecon


Boletim 23 do MODECON

Dois comentários se tornam necessários. O primeiro se refere à eleição do Papa Francisco, o cardeal e arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mário Bertoglio. A escolha do nome papal e os seus primeiros gestos de desprezo com as pompas que normalmente cercam a investidura de um Papa são auspiciosos. Revela pelo menos o desejo de um papado austero e cercado pela humildade do chefe da Igreja Católica.

Contudo, as informações que têm chegado sobre o comportamento do então prelado argentino durante os tempos da ditadura naquele país deixam todos, católicos ou não católicos, profundamente chocados, uma vez que cercam tais notícias a possibilidade de ter o Santo Padre cometido ou a conivência ou pelo menos a omissão diante dos crimes praticados pelos militares de seu país. É preciso que esses fatos sejam devidamente esclarecidos para não macular uma imagem tão esperançosa surgida com sua eleição.

O outro comentário diz respeito à indicação do deputado Marco Feliciano do PSC ao cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Os comentários que ele têm feito sobre as populações africanas e afro-descendentes, já indicariam o bom senso dos parlamentares daquela Casa de Leis quão desastrosa poderia ser sua conduta à frente dessa Comissão. O MODECON cerra fileiras com aqueles que repudiam as atitudes de quem tem demonstrado imenso desprezo pelos temas que, como presidente, terá de tratar.

 

NOTA

A partir da próxima palestra o Blog do MODECON irá divulgar um brevíssimo sumário para que os nossos amigos e colaboradores tenham ciência do que está acontecendo nas atividades das segundas feiras. Começamos com a síntese da palestra de nosso presidente, professor Lincoln Penna, cujo teor da palestra segue abaixo.

TEMA: COMUNA DE PARIS DE 1871

A Conjuntura

A Guerra Franco-prussiana: (Julho de 1870 – 10 de Maio de 1871):

A divisão do Movimento Operário na A.I.T. criada em 1864, em Londres, e dissolvida em 1876:

A ampliação da luta de classes em dimensão internacional: Marx e a Comuna.

Os primeiros sintomas da grande crise depressiva de 1873 a 1896: os ciclos de Kondratieff.

Por fim, a solução de uma guerra inter-imperialista também começava aquela altura a se desenhar, a partir da formação dos blocos que iriam se defrontar na Grande Guerra de 1914 a 1918.

A Comuna antecipou em escala internacional o que viria a acontecer quando da revolução bolchevique de 1917.

 

O Que significa Comuna?

 

A palavra comuna, na Idade Média, é a designação para a cidade que se tornava emancipada pela obtenção de carta de autonomia fornecida pelo rei. Atualmente, na França, o termo se refere à menor subdivisão administrativa do território;

As outras subdivisões territoriais são: o cantão, o arrondissement, o departamento e a região;

A comuna francesa é a unidade básica de organização terrorial da França.

A Comuna de Paris durou 72 dias: de 18 de Março a 28 de Maio de 1871, e representou a primeira tentativa de um governo operário e popular;

Foram ainda criadas comunas nas cidades de Lyon, Marselha e Toulouse, com baixo grau de articulação entre si.

 

Os Fatos

A 18 DE Março se iniciam os conflitos entre o povo trabalhador e as tropas do governo de Thiers, que pretendia promover o desarmamento na cidade, na região de Montmartre .

Thiers se refugia em Versalhes, depois da tomada pelos manifestantes da sede do governo, o Hotel de Ville;

A Guarda Nacional controla doravante Paris. Ela formara no mês anterior uma federação de batalhões constituídos por representantes dos bairros populares de Paris e com uma direção centralizada;

A Comuna não era um bloco compacto. Havia uma maioria burguesa ou da pequena- burguesia (55 em 80). Porém, o seu Estado maior era formado essencialmente de operários;

A Comuna tinha uma organização colegiada. No lugar de cargos ministeriais instituíram-se os comissariados especiais;

Não tinha um presidente, mas uma Comissão Executiva eleita por um mês. E o Poder Legislativo era representado pela Plenária de todos os seus membros, que administravam também os bairros que os elegiam;]

Três tendências coexistiam na Comuna:

O Socialismo revolucionário

O Blanquismo

O Jacobinismo

Atos e Idéias da Comuna

Em matéria de Religião, o anticlericalismo da Comuna se opôs à tolerância dos revolucionários de 1848, por exemplo. Estabeleceram medidas muito mais drásticas para os eclesiásticos;

No plano da política cultural, a Comuna procurou ampliar os espaços e bens culturais de modo a torná-los acessível ao povo;

Até Maio, a Comuna esperava a ocorrência de levantes populares no interior da França. Mas isso não ocorreu e o movimento ficou isolado; Thiers negociou com Bismarck facilidades para impossibilitar a permanência do governo popular da Comuna.

 

Causas da Derrota:

O cerco econômico da Comuna e a impossibilidade de se desenvolver uma atividade produtiva auto sustentada;

A Heterogeneidade do Movimento;

A inexistência de aliança com o campesinato de forte tradição de lutas na França;

O isolamento de Paris imposto pelo cerco econômico e político.

 



Escrito por Modecon às 17h15
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




MODECON CONVIDA

 

 

 

 

PALESTRANTE (S)

Professor LINCOLN PENNA.

 

 

 

TEMA

A COMUNA DE PARIS E O SEU LEGADO SOCIAL.

 

 

 

DATA

18/03/2013 – segunda-feira

HORA

17h30min.

 

 

 

LOCAL

7º andar do prédio da ABI - Rua Araújo Porto Alegre, 71

 

Centro, Rio de Janeiro.

 

 

 

 

 

 

Solicitamos e agradecemos PONTUALIDADE aos participantes.

 

 

 

 

 

COMPAREÇA - PARTICIPE


Escrito por Modecon às 15h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BOLETIM - 22

Chavez e a Revolução Bolivariana

A morte do presidente Hugo Chavez coloca a América Latina diante de uma necessária reflexão. A ação empreendida pelo então presidente da Venezuela fora tão somente um mecanismo ardiloso por ele usado para se manter no exercício do governo daquele país irmão, ou seu gesto intrépido ao enfrentar a poderosa máquina de guerra e de propaganda dos EUA representou e representa um desafio para os povos latinoamericanos, no sentido de darem um largo passo adiante na direção da soberania nacional, incompleta na grande maioria desses países?

Os que o julgam como um caudilho, tirano ou até mesmo um ditador fascistóide, assim o fazem por ignorância histórica ou por temerem as implicações sociais e políticas dos atos produzidos pelo então presidente venezuelano. E esquecem que tais denominações negativas ou desqualificadoras normalmente se aplicam aos que cuidam exclusivamente dos interesses das classes dominantes, que lançam mão de tais artifícios para iludirem o povo e o manterem sob sua dominação e exploração.

O MODECON se coloca ao lado daqueles que consideram o Comandante Hugo Chavez uma liderança popular e antiimperialista. E sua proposta de uma República Bolivariana que estreite as fronteiras nacionais dos povos dessa região a ponto de se irmanarem em busca de melhores condições de vida uma tarefa urgente e em condições de ser plenamente bem sucedida.

O Brasil como parte integrante desse projeto de unidade latino americana tem a oportunidade de implementar de fato a res publica, aquela que verdadeiramente consulta os interesses populares, já que a República que temos se encontra muito aquém das expectativas de seu povo. Que nos alinhemos num projeto transnacional respeitando-se a s peculiaridades de cada formação social e nacional de modo a cerrar fileiras com vistas à formação de uma República Bolivariana das Américas.

Lincoln de Abreu Penna

Presidente

 



Escrito por Modecon às 11h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
Votação
  Dê uma nota para meu blog